domingo, 13 de setembro de 2015

Insomnia Capitulo XVII

Na porta ao lado encontramos a cripta da Plague,
o sitio escuro e assustador onde ela passa grande
parte dos seus dias, completamente só, culpando-se
pelo seu suposto defeito. O coração que ainda sangra.
Não teve qualquer hipótese ao enfrentar o amor, o coração foi
arrancado, condenado a nunca mais bater mesmo depois da D.O.C 
lho ter restituído.
Demonstrar os sentimentos pode ser bastante perigoso e a nossa
querida Plague aprendeu essa lição da pior maneira.
Felizmente chega sempre a altura em que nos apercebemos de que
nada nos serve chorar pelos cantos, não resolve nada.
A única coisa a fazer é apanharmos os pedaços e retaliar.
Por isso mesmo a pequena Plague tornou-se numa guerreira, uma assassina,
 a faca que leva para todo o lado já se encontra manchada,
ainda assim ela agarra-se a uma pequena réstia de esperança no que toca a encontrar um dia o seu cavaleiro.
Através de gengivas ensanguentadas, unhas lascadas, lágrimas e suor
ela tornou-se no vosso pior pesadelo.


" Deep scar, old memory
Dark ages of history
   They played their tricks 
on you 
   And there was nothing 
  You could do

  Left in the corner 
  alone to cry
   Didn't even kiss you 
 goodbye 

Your ego is smothering 
 my pride 
 Time to face the living 
 dead bride 
The Plague, your nightmare 
Don't you dare 
to say I'm not fair 
This hatred is consuming me 
You better stand back baby 
'till my last breath 
I shall avenge this wrath 

Cry me a river or even a sea
That won't change 
  What has been done to me."


Continua ...

Sem comentários:

Enviar um comentário