quinta-feira, 2 de novembro de 2017

Isto pelo menos eu sei

É tudo relativo
bastante subjectivo
Sou boa no que faço
mas não sei o que isso é
E até descobrir não arredo o pé
É talento? É arte?
É paixão? Será possível amar-te?
Reconsiderar cada passo
Faço o que sei e às vezes não sei
o que faço
Trapaceias o destino
E porque pensas que sabes
que não é bem assim
Acabas a rir-te de mim

Ases na mão,
foi-me dada a jogada
Ainda que tentadora a maçã
está envenenada
A sorte está lançada
Não mexi uma palha
mas sinto-me vingada
Ele acha que lhe dou qualquer
crédito ou valor
Na prática nem sei o que
chamar àquele senhor
Pensei em otário ou imbecil,
mas optei por doutor
Esse teu discurso já conheço
de cor
Mas lá vai, mais um encore !

Vais de arrasto, não há motivação
E por isso mesmo cobiças a
minha obstinação
Sou fã da, por mais dolorosa que seja,
verdade
Não vivo nada pela metade
Ao contrário de si, vossa majestade
Essa queda é culpa do mundo
Fomos nós que te enterrámos
no fundo
Choras agora pois pensas que nada
mais podes fazer
E nós peões aqui estamos
para te entreter
Pois bem também temos algo a dizer

Não contratuei lealdade,
não vendo amizade
Não distribuo respeito
Nem encho o peito
para apontar defeito
Sou um ser humano,
logo longe de perfeito!
Esse discurso é falácia,
essa conversa é planeada
Digna de alguém que tudo quer
a troco de nada
Eu vejo através da fachada
não gosto de viver enganada
Sai do pedestal, não tens
direito a trono, não és rei
Não és senhor, nem dono
do que sou e sempre serei
isso pelo menos eu sei !

MKS.




Sem comentários:

Enviar um comentário